Share

imprimir

Mergulhar em Segurança



25 Jun 2015

Em entrevista à SuperFM, Lídio Lopes alertou para a necessidade da prevenção dos acidentes de mergulho.

 

"Jovens: mergulhem, mas primeiro verifiquem se há água debaixo de água". Ou seja, se há condições de segurança para mergulhar. Esta foi a principal mensagem que Lídio Lopes, subdiretor do Departamento de Qualidade e Inovação (DQI), da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, deixou ontem, em entrevista, à Rádio SuperFM. 

 

Um alerta que faz parte da "Campanha Mergulho Seguro" a que a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) e a Sociedade Portuguesa de Ortopedia e Traumatologia se associam pelo terceiro ano consecutivo. O objetivo é sensibilizar a população, em especial os mais jovens, para a prevenção de traumatismos vertebro-medulares, provocados por acidentes relacionados com mergulhos nas praias e nas piscinas.

 

A esmagadora maioria deste tipo de acidentes (cerca de 96%) verifica-se, sobretudo, nos períodos de lazer e em grupo, notou Lídio Lopes, sublinhando não ser ainda "tempo de correlacionar os resultados com a campanha". Frisa que os números disponíveis indicam que, desde 2012, a percentagem de jovens com lesões vertebro-medulares diminuiu significativamente.  

 

"A campanha está na rua", espalhada por "três mil escolas do país", 500 postos de uma marca de gelados, 70 mil etiquetas de fatos de banho e por 1500 locais diferentes do país, incluindo festivais de verão, diz Lídio Lopes.

 

Nesta entrevista, refere ainda o papel fundamental da Santa Casa na área da reabilitação, no Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão (CMRA), no Hospital de Sant'Ana (HOSA) e na procura de soluções, através da criação dos Prémios Santa Casa Neurociências, criados pelo Provedor, Pedro Santana Lopes, em 2013.

 

"Trabalhamos na ação, mas também cuidamos da prevenção e estamos à procura de soluções de qualidade de vida para aqueles que foram afetados", disse.  

 

Segundo dados dos últimos cinco anos, da Administração Central do Sistema de Saúde, 96% dos acidentes provocados por mergulhos ocorrem entre maio e setembro, 84% dos quais durante os três meses de verão. A incidência é maior em indivíduos do sexo masculino (87%), com idades compreendidas entre os 11 e os 20 anos, acontecendo mais de metade dos casos a indivíduos com menos de 30 anos. Com esta campanha, pretende-se reduzir o número de acidentes, idealmente a zero, tendência que vem acontecendo gradualmente deste que esta iniciativa foi lançada, numa parceria entre a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e a Sociedade Portuguesa de Ortopedia e Traumatologia.

Ouça a entrevista em: http://www.scml.pt/pt-PT/destaques/mergulhar_em_seguranca_4/

 

 

Copyright © 2014 - Hospital de Sant’Ana | Desenvolvido por