Share

imprimir

A FAO* declara 2016 como o Ano Internacional das Leguminosas



03 Fev 2016

Diversos estudos associam um consumo adequado de leguminosas à diminuição do risco de cancro, devido à sua riqueza, em fibra, fitoquímicos e compostos fenólicos. O Serviço de Nutrição do HOSA destaca o feijão, o grão, a ervilha e a fava pelo baixo valor calórico e elevado teor proteico, em fibra e em hidratos de carbono de absorção lenta. O feijão tem fitoquímicos como o ácido fítico e o grão possui um elevado teor em folato, ferro e zinco.

No passado, as leguminosas tiveram um papel crucial no combate à desnutrição como substitutos das carnes e peixes, hábito alimentar que se alterou com o tempo. Atualmente, vários estudos alertam para a baixa ingestão destes alimentos da população portuguesa. É importante, passar a ingerir 1 a 2 porções diariamente, que corresponde a 3 colheres de sopa de leguminosas secas ou frescas cozinhadas, alternando entre o almoço e o jantar. Refeições como a feijoada ou o rancho não têm que ser excluídas, desde que confecionadas sem adição exagerada de sal ou de carnes gordas. Ao cumprir as doses recomendadas, usufrui dos benefícios nutricionais das leguminosas e promove a sua saúde.

*Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura

Esta informação está também disponível na webletter da SCML, http://www.scml.pt/pt-PT/nossa_causa/webletter_14/

Copyright © 2014 - Hospital de Sant’Ana | Desenvolvido por